Ceviche de Abobrinha

*English Version Follows

Parei de escrever neste blog quando eu ainda estava trabalhando, passei por uma fase bastante ocupada, logo veio minhas férias e logo voltando das férias minha vida começou a passar por uma reviravolta que, pra falar a verdade, só está se acalmando por agora… Risos… e como podem notar, voltei e aqui espero continuar registrando aprendizados dessa minha nova fase de vida, que está cada dia mais de encontro a essa conexão, a essa verdade interior, que me levou a iniciar este blog.

Vim morar nos Estados Unidos, e na minha despedida com a família, pedi para que cada família levasse um prato (tamanha era minha falta de tempo para preparar a festa toda), e o prato que eu e meu marido preparamos foi um delicioso ceviche de abobrinha, que já havíamos preparado no Natal do ano passado e foi um sucesso!!! E na minha opinião, este prato não tem como não ser sucesso!! É o meu prato favorito!!! 😀

Neste feriado de Thanksgiving por aqui, fui convidada para um almoço vegano!!! O que levei? Meu famoso ceviche de abobrinha: Vegano, Quase Vivo (usei milho cozido), Sem Glúten e Delicioso!!! Fez sucesso novamente, o que me deixou muito feliz e empolgada para compartilhar a receitinha, que é: Muito prática!! Aí vai:

Ceviche de Abobrinha

O ceviche nada mais é do que um caldo de limão temperado que serve para marinar os ingredientes que você gostar. Assim, prepare primeiro o caldo (Leite de Tigre), que pode ser armazenado na geladeira com antecedência ou até em cubinhos de gelo, que foi o que fiz hoje, para que o ceviche chegasse geladinho ao seu destino.

Ingredientes (Dê preferência aos ingredientes orgânicos sempre que puder):

Leite de Tigre – para 1 litro eu usei aproximadamente:

Suco de 15 Limões (pode misturar os tipos de limão conforme sua preferência, que fica muito bom – hoje eu usei o Tahiti e Siciliano, mas no Brasil já misturei o caipira também).

Sal a gosto

1 talo de Salsão

1 pedaço de Gengibre (tamanho equivalente a 2 dentes de alho)

1 dente de Alho

2 folhas de Alga Marinha (para substituir o caldo de peixe no Ceviche, deixar uma ou 2 folhas de qualquer tipo de alga de molho num pouco de água filtrada, suficiente para cobri-las, por 10 minutos – usar só o caldo).

2 copos de Água filtrada

Bata tudo no liquidificador e reserve.

Ceviche:

6 Abobrinhas

1 Cebola Roxa

1 maço de Coentro

1 porção de Milho cozido

1 porção de Mini-milho em conserva

1 Manga

1 Pimenta dedo de moça sem as sementes se não gostar muito picante.

Obs: A Manga pode ser substituída por batata-doce também, fica ótimo.

Agora é só misturar o caldo aos ingredientes num bowl e deixar marinar pelo menos por 3 horas na geladeira.

Aproveitem!!!

Zucchini Ceviche

When I stopped writing in this blog I was still working, I went through a busy stage, soon it was my vacation period and soon returning from vacation my life went trhough a turnabout that, to be honest, is just settling down for now … Laughs … and as you can notice, I came back here and I hope to continue registering my learning experiences of this new phase of my life, which is every day more in the direction of this connection, this self-truth, which led me to start this blog.

I moved to United States, and in my farewell with my family, I’ve asked for each family to bring a dish (such was my lack of time to prepare the whole party), and the dish that my husband and I made was a delicious zucchini ceviche, that we had first prepared last year’s Christmas and it was a success !!! And in my opinion, this dish can not be nothing, but successful !! It’s my favorite dish !!! 😀

This Thanksgiving holiday here, I was invited to a vegan lunch!!! What I took? My famous zucchini ceviche: Vegan, Almost Alive (used steamed corn), Gluten Free and Delicious !!! It was successful again, which made me very happy and excited to share the recipe, which is: Very practical !! So, here it goes:

Zucchini Ceviche

The ceviche is nothing more than a mild lemon juice used to marinate the ingredients you like. So, first prepare the broth (Leche de Tigre), which can be stored in the refrigerator in advance or even in ice cubes, which was what I did for the Thanksgiving lunch, so that the ceviche arrived cooled at the destination.

Ingredients:

Tiger Milk – For 1 liter I used about:

Juice of 15 lemons (I mixed limes and lemons)
Salt to taste
1 stalk celery
1 piece of ginger (size equivalent to 2 garlic cloves)
1 garlic clove
2 Seaweed sheets (to replace the Ceviche fish broth, leave for about 10 minutes one or two sheets of any type of seewead soaked in a filtered water sufficient to cover them – only use the broth).
2 cups of filtered water

Blend it in a blender and set aside

Ceviche:

6 Zucchini
1 Red Onion
1 bunch Cilantro
1 serving of steamed Corn
1 serving of pickled Baby-Corn
1 Mango
1 Chili Pepper (Take out seeds if you do not like very spicy)

Note: Mango can be replaced by sweet potatoes too, it is great.

Now just mix the ingredients in the broth bowl and let marinate for at least 3 hours in the refrigerator.

Enjoy !!

 

Anúncios

Dia da Mulher!

Aproveitando essa data especial do Dia Internacional da Mulher, onde somos celebradas por tudo que somos e representamos nessa vida, gostaria de compartilhar uma experiência que tive, que foi super bacana no sentido de ativar a mulher que existe dentro de mim, no mais pleno potencial e que muitas vezes era subjugada quando por exemplo, eu dizia: “Na próxima encarnação quero ser homem!!”. Meio que da boca pra fora, claro, mas era para protestar quando na adolescência minha mãe não deixava eu sair dizendo que não era hora de menina estar na rua, quando a menstruação vinha ou até pelo fato da gravidez acontecer só para a mulher… aliás, lembro-me quando me apaixonei pelos cavalos-marinhos, única espécie animal onde a fêmea deposita os ovos na bolsa do macho e ele faz a gestação pela fêmea, sofre as contrações, enfim, mesmo com toda a fragilidade dos cavalos marinhos, sempre achei isso lindo e costumava dizer: “isso que é macho!!!”.

Pois bem, após ter decidido parar de comer carnes de animais, eu passei a buscar por alternativas mais saudáveis para a minha alimentação, que até então era basicamente um arroz ou massa, uma carne e uma saladinha. Foi nestas buscas que conheci um programa de Coach de Saúde Integrativa da Mulher da Melissa Setubal. Fiz com ela, um Coach de 4 meses que mudou muito a minha vida de mulher!!! Esse programa endereça os principais desafios de saúde e de vida da mulher moderna. Temas como Alimentação, Estilo de Vida, Amor Próprio, Hormônios, Fertilidade, TPM, Ciclo Menstrual, Empoderamento, Autoconhecimento, etc, são tratados por ela durante o programa. Recomendo muito!!!

Hoje gostaria de compartilhar as 5 principais práticas que adotei a partir desse programa, que são de grande valia para qualquer mulher:

  1. Beba sempre muita água; tenha sempre uma garrafinha com você.
  2. Busque adicionar em todas as suas refeições folhas verdes escuras.
  3. Procure entender o seu ciclo menstrual e se respeite principalmente nesse período.
  4. Movimente o seu corpo sempre e faça exercícios físicos regularmente.
  5. Não se alimente apenas de comida, mas também de atividades prazerosas.

Para finalizar, meu desejo para todas as mulheres é que não se importem muito com o que as pessoas pensam, e principalmente, com o padrão de comportamento que as pessoas seguem sem consciência, simplesmente para ter o sentimento de pertencer a um grupo. Viva em paz consigo mesma e seja a sua melhor companhia. Essa, na minha opinião, é a principal dica de saúde e beleza para as mulheres!!

Beijos à todas as lindas que tomaram um tempinho para ler este post. Um feliz dia!!!

Fabi

Leite e Iogurte de Coco

Há uns 4 anos ouvi a frase: “O leite da vaca não é para os seres humanos, é para o bezerro!!”, e pela primeira vez, essa frase me pôs a pensar. Eu que adorava tomar uma tigela de leite gelado com sucrilhos todas as manhãs, tomei a decisão: parei de tomar leite! Mas como fomos condicionados a acreditar que os laticínios fazem bem para os ossos, continuei tomando os iogurtes que encontramos nos mercados.

Hoje todos nós conhecemos pelo menos uma pessoa que já descobriu que tem intolerância à lactose, e frequentemente vemos bebês nascendo já intolerantes ao leite de vaca, e essa é uma tendência que desmistifica o que a indústria, sempre visando lucros, tenta nos convencer. Encontramos muita fonte de cálcio na natureza sim!! Gergelim, tofu, folhas verdes escuras, como brócolis, couve, espinafre, algas, etc.

Foi quando me tornei vegetariana, há 2 anos, pesquisando cada vez mais sobre as indústrias de abate de gado, que me deparei com um vídeo da crueldade da indústria de laticínios. As vacas são confinadas num espaço em que ele não consegue nem se virar, ali ela é, desculpem o termo mais vulgar, mas são mesmo estupradas algumas vezes para que o ciclo engravidar e gerar leite aconteça para a produção de leite para nós, seres que já tivemos nosso desmame e continuamos beberrões de leite. E o bebê bezerro que nasceu?? Ah, no exato momento que nascem, são retirados da mamãe vaca (mamãe e bebes choram e sofrem com isso) e são descartados ou viram carne também: o famoso baby beef ou vitela, certo?

Enfim, como a primeira intenção deste blog, assim como sugere o nome, é o amor, vamos focar nele e não ficar muito presa em situações tristes que ainda acontecem em nossa sociedade até os dias de hoje, infelizmente. E como o leite de origem animal e industrializado conferem mal não só aos animais como à nossa saúde também, principalmente causando infecções gastro-intestinais nas mulheres, já justifica a minha busca por leites saudáveis para substituirmos no nosso dia-a-dia sem causar mal a ninguém.

Para todas essas informações que trago aqui, existem excelentes artigos disponíveis na internet para consulta, inclusive o mais recente é um estudo de Harvard, que sugere ao USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) a retirada dos laticínios da pirâmide alimentar. Nos Estados Unidos é mais fácil encontrar leite de castanhas e de cereais nos mercados em embalagens longa-vida, mas aqui ainda custam muito caro, além de serem mais um produto fruto da indústria, apesar da conotação saudável.

Assim sendo, tenho experimentado alguns leites e iogurtes caseiros. Os mais saborosos até agora são os de amêndoas e de coco. O leite e iogurte de coco são muito simples, rápido e fácil de preparar, por isso resolvi compartilhar essa minha experiência que deu muito certo e já virou rotina na minha casa. A parte mais difícil mesmo é abrir o coco. Tarefa do meu super marido!

Leite de Coco (rende 1 litro)
Ingredientes:
3 cocos (ou 2 se estiverem bem carnudos)
Água dos cocos

Preparo:
No liquidificador, bata bem a polpa com a água do coco.
Se quiser servir bem gelado, pode bater gelo junto.
Coe se necessário.

leite3 leite2

Iogurte de Coco (rende 4 porções)
Ingredientes:
4 cocos verdes (ou 3 se estiverem bem carnudos)
2 sachês ou cápsulas de probióticos acima de 5 bilhões de bactérias boas (quanto mais bactérias, melhor).

Preparo:
Abra os cocos, reserve a água e retire a polpa.
No liquidificador, use um pouquinho da água do coco para bater a polpa de 3 ou 4 cocos.
Acrescente o probiótico e bata até ficar com consistência de iogurte.
Coloque num pote de vidro e deixe descansar por 24 horas em ambiente escuro.
Depois esse período de fermentação é só colocar seu iogurte para gelar.

Como pode ver nas fotos abaixo eu gosto de servir com granola e agáve ou mel.

Vale a pena!!

Saúde!!!

Salada no Pote

Nos últimos anos, tenho aprendido que TUDO está conectado. Cada vez mais tenho percebido o valor do nosso próprio ecossistema.

Aprendi também que a frase “Feito é melhor que (nunca) perfeito”, para uma boa perfeccionista que sou, tem o seu valor!
Portanto, resolvi iniciar este blog. Simplesmente começar!

Meio que de trás pra frente, segundo a minha linha do tempo de aprendizagem nesses quase 5 anos de vida na casa dos 30, mas como está tudo conectado, enquanto eu puder escrever para este blog, vocês perceberão que tudo vai fazer sentido.

Sendo assim, o primeiro post vai para a minha mais nova dedicação: a salada no pote.
Sempre gostei de saladas. Quanto mais elaborada e saborosa, melhor. Nada de beterraba e cenoura raladas, temperada com vinagre. Eca.
Aprendi que saladas podem ser uma refeição completa em termos nutricionais!!! E nessas pesquisas, descobri a salada no pote.
Em blogs americanos as pessoas indicam preparar a salada em pote de vidro, que conferem maior durabilidade aos alimentos, podendo assim, preparar no domingo, saladas para a semana inteira, garantindo que se preservarão muito bem de 5 a 7 dias na geladeira.
Comecei este ano com o objetivo de levar a salada no pote de “marmita” para o trabalho para os dias que não tenho almoço marcado e isso vem funcionando muito bem.
Olha os benefícios:
  1. Comida de verdade: eu que preparei, portanto sei exatamente o tipo de ingredientes que estou ingerindo.
  2. Comida feita com amor: nos restaurantes muitas vezes esse ingrediente mais que especial não existe.
  3. Neste verão rigoroso que estamos tendo, não preciso mais quase morrer de calor ao sair caminhando até a um restaurante, além de evitar pegar o pior sol do meio dia.
  4. Uso bastante salto alto, e sair caminhando assim pelas calçadas do nosso país não é tarefa das mais fáceis.
  5. Para quem tem o paladar exigente, não precisa mais ficar se aborrecendo por aí, porque restaurantes bons são raros.
  6. Mesmo que você tenha um restaurante favorito perto do seu trabalho, você dificilmente vai querer frequentá-lo os 5 dias da semana. Eu sei que por melhor que seja, chega uma hora que enjoa.

E uma das principais vantagens, já que também faz parte dos meus objetivos de 2015, é:

  1. Pra quem, assim como eu não pode ver um docinho, e quer reduzir o consumo de açúcar em 2015, nada melhor do que ficar longe dessas tentações.
 Salada no Pote 1   Salada no Pote 2   Salada no Pote 3
Bem, espero que ao menos 1 desses benefícios tenham sido suficientes para lhe fazer experimentar a salada no pote.
Apesar de eu ainda não ter comprado meus 5 potinhos de vidro para preparar todas no domingo, eu comprei um pote bem legal de plástico mesmo, mas livre de BPA (químico encontrado no plástico, facilmente assimilado pelo corpo humano como toxina, que interfere no sistema endócrino, causando diversas doenças) e aí tenho preparado meu almoço sempre na noite anterior.
Mesmo assim, sempre cozinho os grãos (leguminosas e cereais) para 2 ou 3 dias e o restante da minha marmita normalmente são ingredientes crus (tomate, pepino, alcachofra, brotos, tofu, abacate, azeitonas e verduras) ou levemente cozidos (abobrinha, cenoura, batata doce, etc).
A dica principal está na montagem: o molho é sempre a primeira etapa do seu pote, ele vai na base, e depois ingredientes mais pesados que possam ficar em contato com o molho, como um grão de bico, um tomate cereja, deixando as folhas sempre por último.
As folhas você também pode prepará-las no domingo, para facilitar o seu dia-a-dia. Lave-as, deixe as secar e armazene em potes forrados com papel-toalha na geladeira, assim elas duram aproximadamente 7 dias.
Se ficou alguma dúvida é só me escrever.
Beijos,
Fabi